Integração com a Graduação

Indicadores de Integração com a graduação

No que diz respeito às relações com a graduação, estas são intrínsecas ao Programa. Todos os docentes atuam conjuntamente nos dois níveis e vários espaços são comuns. Há forte participação dos docentes na oferta de disciplinas de graduação, além da participação de graduandos nos projetos de pesquisa.
O envolvimento dos docentes na Graduação é bem traduzido por indicadores sobre a oferta de disciplinas. Os docentes do programa participam em média de 30 disciplinas em diferentes cursos de graduação por ano, com carga horária total de cerca 4600 horas.

Em 2013, 12 professores orientavam alunos de iniciação científica (IC) com bolsa, sendo contabilizadas pelo menos 12 bolsas PIBIC (IC122968, IC122674, IC122708, IC123569, IC123565, IC123421, IC123567, IC123425, IC123129, IC123249, IC123206 , IC123433), 05 PIBITI e 04 FAPERJ. Em 2014 estes números aumentaram: 13 professores orientando alunos de IC com bolsa, sendo pelo menos 15 PIBIC (IC145426, IC144656, IC144696, IC144717, IC144582, IC145323, IC145413, IC144955, IC144959, IC144660, IC144673, IC145299, IC145112, IC144966 , IC145204) e 10 PIBITI/PIBInova. Em 2015/2016 este numerário aumentou expressivamente com pelo menos 28 alunos de IC bolsistas PIBIC e FAPERJ, sem contar os voluntários ou bolsistas PIBITI, PIBInova e de outras agências/editais de fomento.
(1) FAPERJ – processos n.º 200.642/2015, 200.511/2015, 203.435/2016, 202.495/2015, 260.019/2015, 201.873/2015, 201.147/2015, 201.075/2015, 203.438/2016, 200.917/2015, 200.917/2016, 200.704/2016, 200.996/2016, 200.854/2015, 200.642/2015, 200.679/2015, E26-200.910/2016, 202.366/2015
(2) PIBIC – códigos IC167207, IC167458, IC145299, IC156215, IC166733, IC166535, IC166575, IC167708, IC156284, processo 129680/2016-8

Além disso os professores participam da orientação de alunos de IC vinculados à disciplinas de graduação como Iniciação Científica I-VII (Medicina) e Iniciação à Pesquisa Biomédica e Pesquisa Científica (Biomedicina), abrangendo em média 13 alunos por semestre. Inclusive nossa Pós-Graduação participa do Programa Altos Estudos cujo objetivo geral abrange o desenvolvimento pleno do potencial dos estudantes da UFF com habilidades especiais, contribuindo para a integração entre graduação e pós-graduação e acelerando a formação de alto nível. Desta forma, além de experimentarem o ambiente de pesquisa e pós-graduação mais cedo, ao longo de sua formação, os estudantes apoiados abreviam o tempo de conclusão de sua graduação e pós-graduação stricto sensu por meio de uma trajetória curricular avançada e integradora. Em adição, a partir de 2017, a UFF será a 4ª Universidade do país a ter um programa que permitirá a seus estudantes do curso médico cursar ao mesmo tempo a graduação e a pós-graduação, em nível de doutorado.

O objetivo é reduzir drasticamente a idade média com que os médicos alcançam o Doutorado e assim aumentar o período produtivo dos pesquisadores na área. O Programa de Treinamento em Pesquisa Médica –PTPM – Modalidade MD-PhD, foi aprovado pelo Colegiado da Faculdade de Medicina da UFF e o primeiro processo seletivo aconteceu em 2017/1. A Sede do PTPM, no que se refere às atividades administrativas, se localiza na coordenação do Programa de Pós-Graduação em Ciências Cardiovasculares.
Hoje, um estudante que começa o curso de Medicina com 17 anos, caso estude ininterruptamente, só termina o doutorado aos 33 anos de idade. Seguindo o roteiro original, são 6 anos de graduação, 4 anos de residência médica, mais 2de mestrado e, então, 4 anos de doutorado. Com o PTPM, os alunos poderão concluir o doutorado até em 2 anos depois do término curso de Graduação em Medicina. O Programa MD-PhD já é um sucesso em muitas universidades do Brasil, como a UFRJ, Unicamp e Unifesp; e agora poderemos oferecer na UFF.

Os principais meios de integração com a Graduação abrangeram ainda a participação dos alunos de graduação em atividades promovidas pela Pós-Graduação, como as Jornadas Anuais em Ciências Cardiovasculares, a participação em grupos de pesquisa nos laboratórios e núcleos de pesquisa e na realização conjunta de trabalhos de campo, a participação de alunos de graduação (bolsistas IC e orientandos de TCC) e de alunos de pós-graduação em seminários conjuntos de pesquisa e em redação conjunta de artigos científicos. Assim, os eventos e projetos do PPGCCV oferecem espaço para os graduandos e os pós-graduandos que participam das atividades didáticas e de orientação por meio da realização do Estágio de Docência.
Podemos, desse modo, observar os diferentes benefícios da integração do Mestrado e do Doutorado com a graduação. No curto prazo, as pesquisas desenvolvidas pelos professores resultam numa prática docente conceitualmente mais qualificada, gerando um efetivo aumento na qualidade da formação acadêmica do aluno. Observa-se uma maior relação de comprometimento do aluno com o curso, por meio, por exemplo, da participação em eventos científicos, do aumento significativo no interesse pela prática de pesquisa logo no inicio da graduação quando os mesmos buscam integrar os laboratórios e grupos de pesquisas se inserindo nos projetos de iniciação científica, produzindo artigos e publicando em revistas ou em eventos de qualidade reconhecida. Esse engajamento, a médio prazo, corresponderá ao aluno bem formado e que irá continuar seus estudos na realização de um mestrado/doutorado e/ou se inserir ou prosseguir na vida profissional, com a mesma qualidade que foi garantida na sua formação inicial pelo professor-pesquisador.

Estágio de docência

O Estágio de docência, obrigatório aos bolsistas CAPES do nível de doutorado e facultativo aos demais alunos, no caso, constitui uma atividade curricular definida como a participação de aluno do PPGCCV em atividades de ensino em diferentes cursos de Graduação da área de Saúde na UFF. Mediante plano de trabalho detalhado, o aluno ministra aulas teóricas e práticas voltadas para a temática cardiovascular nas áreas de Farmacologia, Fisiologia, Enfermagem, Nutrição, Medicina, Educação Física, entre outras, sob supervisão de seu respectivo orientador; participa em avaliação parcial de conteúdos programáticos; aplica técnicas pedagógicas tais como estudos dirigidos, sem assumir a totalidade das atividades de ensino que integralizam a disciplina em que atuam. Além disso, colabora na orientação de alunos de iniciação científica que participam de seu projeto.
O aluno inscrito no estágio docência, ao concluí-lo, elabora um relatório das atividades realizadas e apresenta ao orientador que encaminha ao Colegiado do PPGCCV. Após apreciação, o Colegiado emite seu parecer sobre o conjunto das atividades realizadas pelo pós-graduando, atribuindo nota e conceito. Mediante aprovação, o conceito é inserido no histórico escolar do aluno.

Últimas Notícias

6a Imersão em Arritmias Cardíacas RJ - 26 de agosto - Rio de Janeiro
I Workshop de Editores de Periódicos Científicos da Pós-Graduação - 25 de agosto - 13h - NAB
Fórmula Santander - Período de Inscrição 02 de junho a 31 de agosto de 2017

Fórmula Santander - Período de Inscrição 02 de junho a 31 de agosto de 2017

Edital 12/2017 - SRI/UFF Nesta 8ª edição, o Programa concederá 100 bolsas, no valor equivalente a[...]
Apresentação dos novos docentes do PPGCCV

Apresentação dos novos docentes do PPGCCV

A Pós-Graduação em Ciências Cardiovasculares apresenta os NOVOS DOCENTES que passam a integrar o qua[...]